Make your own free website on Tripod.com



Problemas para a exportação

Considerando a abundância em quantidade e variedade, as rochas ornamentais do Brasil, sobretudo os "granitos coloridos", possuem grande potencialidade de serem importantes materiais de exportação, entretanto, tal fato não está conseguindo sucesso como o esperado. Existem diversas causas, tais como condição natural, problemas políticos, dificuldade na técnica de explotação e de beneficiamento, etc.

O maior problema na condição natural está nas rochas ornamentais que aproveitam a cor proveniente do intemperismo. Os "granitos" amarelos, representados pelo Granito Ouro Velho, têm esta coloração somente na casca intemperizadas da superfície dos matacões, portanto, a quantidade da reserva é limitada e de qualidade heterogênea. Os "granitos" decorativos de metassomatismo, representados pelo Granito Azul Bahia, são heterogêneos até mesmo em afloramentos não alterados. A rocha fortemente azul com alto teor de sodalita é de alto valor econômico, porém, a rocha cinzenta com alto teor de nefelina é de baixo valor. Portanto existem as pedreiras que explotam somente 20% das rochas lavradas, abandonando o restante. Encontra-se a mesma situação nas rochas que aproveitam a cor pela alteração hidrotermal. Tal tipo de rocha é inadequada para processo industrial de explotação e beneficiamento em grande escala.

O principal problema político é a interdição em prol da proteção do meio ambiente. As pedreiras do Granito Preto Tijuca, internacionalmente famoso, foram interditadas completamente, o que provocou o disparo do preço na comercialização deste. As interdições freqüentes nos últimos anos colocaram as pedreiras presentes no subúrbios da cidade do Rio de Janeiro em estado de colapso total, beneficiando pequenos explotadores não autorizados. Desta forma, não há fornecimento estável nem a condição de exportação.

O método primitivo da lavra também é um grande problema. A maioria dos explotadores de "granitos" ornamentais de alto valor é representada por micro empresas, realizando explotação por meio do corte de matacões utilizando-se ponteira e pólvora negra. Depois da retirada total dos matacões, os explotadores não continuam a explotação no afloramento e abandonam o local. Por causa do intemperismo, os matacões tendem a ser heterogêneos. As empresas de capital maior tendem a explotar os "granitos" de cor cinza de baixo valor econômico em grande quantidade para evitar estes problemas. Antigamente, o Brasil adotava política de forte proteção de produtos e tecnologias nacionais. Entretanto, conforme a mudança política depois de 1990, a importação da tecnologia de ponta se tornou possível para quem tem capital. Nos últimos anos, certas empresas estão utilizando cabo de aço diamantado para cortar afloramentos. Desta forma, o problema está atualmente sendo solucionado.

O maior problema está na tecnologia de beneficiamento das rochas, tais como corte, polimento, arredondamento, etc. No exterior, há casos de que as rochas cortadas do Brasil estão sendo rejeitadas devido a intolerável heterogeneidade de tamanho e espessura. O polimento da superfície é freqüentemente grosso e há mercadorias sem arredondamento dos vértices e arestas. Mesmo assim, essas podem servir para o mercado nacional porém é difícil no mercado exterior. Portanto, os "granitos" vermelhos do Brasil, como o Granito Vermelho Itu, estão encontrando dificuldades na concorrência com os produtos similares da Coréia e da Índia. A exportação dos blocos não beneficiados é possível, porém, o lucro é baixo. Os "mármores" dolomíticos de cor branca produzido no sul do Estado de Minas Gerais estão sendo exportados e beneficiados na Itália para serem vendidos como uma parte do Mármore Cahara. De fato, a situação do mercado internacional não está sendo bem compreendida pelos produtores nacionais. Apesar da presença dos investimentos para aumento na produção, há poucos investimentos para aprimoramento da qualidade dos produtos e elevação da competitividade internacional. A exportação das rochas ornamentais aumentará quando estes problemas forem resolvidos.



Rochas ornamentais

Retornar

Avançar