Make your own free website on Tripod.com



Resultado das análises

Ao contrário da expectativa inicial, o resultado das análises mostrou a existência de uma ampla variedade na tonalidade da cor em cada pixel individual, ou seja, a cor dos minerais é mais heterogênea do que a sua aparência. A Fig. 3 apresenta a variação da cor em cada pixel e a Fig. 4 mostra o detalhe analítico da variação da cor das quatro amostras analisadas.

No feldspato alcalino do Granito Vermelho Itu, aqui chamado simplesmente de Itu, o mesmo do Granito Marrom Caldas, Caldas, a nefelina do nefelina sienito de Mesquita, Mesquita, e a sodalita do Granito Azul Bahia, Bahia, o parâmetro R (red) está espalhado em uma faixa ampla, respectivamente: de 36 a 134; de 48 a 128; de 43 a 122; de 76 a 149. O desvio padrão também é alto, sendo respectivamente: 9.12; 17.37; 13.86; 13.63 (Tab. 1). O Itu apresentou a melhor convergência, ou seja, a menor dispersão da cor entre as amostras analisadas. Mesmo assim, a variação de 36 a 134 dentro da faixa de 0 a 255, que corresponde a cerca de 37% da faixa total, é consideravelmente grande.



Fig. 3 - Variedades de cor, expressa em preto e branco, entre os pixels dentro de um grão de nefelina, que é aparentemente homogênea a olho nu. A amostra é a mesma da Fig. 1 e a resolução óptica desta imagem é de 600DPI. A variação real é muito maior do que a presente figura, por ser colorida.



Fig. 4 - Histograma do parâmetro RGB para: A) feldspato alcalino do Granito Vermelho Itu, SP, Itu; B) feldspato alcalino do Granito Marrom Caldas, MG, Caldas; C) nefelina do nefelina sienito de Mesquita, RJ, Mesquita; D) sodalita do Granito Azul Bahia, BA, Bahia.



Tab. 1 - Valores da média, desvio padrão absoluto (SD) e desvio padrão relativo à largura da faixa total em porcentagem (SD%) dos parâmetros RGB e HSB das cores de: A) feldspato alcalino do Granito Vermelho Itu; B) Granito Marrom Caldas; C) nefelina do nefelina sienito de Mesquita; D) sodalita do Granito Azul Bahia. Os valores dos parâmetros RGB são expressos em número de 0 a 255, os do parâmetro H, 0 a 360, e os dos parâmetros S e B, 0 a 100.



Desde que exista uma aparente homogeneidade da cor na observação a olho nu, os valores médios dos parâmetros RGB possuem um certo significado. Entretanto, devido à ampla dispersão dos valores destes parâmetros, a representatividade e a precisão quantitativas dos valores médios dos parâmetros RGB não são muito apreciáveis. A causa da diferença entre a aparente homogeneidade e a real heterogeneidade de cor dos pixels, e o desenvolvimento de um possível método para a solução técnica deste problema, ainda estão em discussão.

Conseqüentemente, os autores concluíram que os parâmetros RGB em si não são adequados para apresentar a cor dos minerais, o que inviabiliza as análises automáticas ou semi-automáticas por meio da aplicação direta no sistema GIS. Neste sentido, necessita-se do desenvolvimento de uma nova teoria e de novos parâmetros para representar as cores dos minerais, com ou sem utilização do GIS.



Análise das cores
Retornar
Avançar